junho 12, 2011

Cortinas e revestimentos têxteis

Cortinas e revestimentos têxteis
por Maristela Gorayeb

A grande cortina de linho com seda cobre toda a parede de 4,10 m de comprimento e 2,66 m de altura e se torna o fundo ideal para a coleção de bichos de cerâmica. Translúcido, o tecido vaza a luz da janela criando um cenário que está sempre mudando de tonalidades.

De bandagem de algodão, a cortina se esparrama pelo piso, cerca de 5 cm. Observe como o caimento fica elegante. Tecidos assim precisam ser lavados no mínimo duas vezes antes de serem costurados.

Com o sofá de estilo balinês de madeira de demolição instalado abaixo da janela, sobrou pouco espaço para a cortina. Por isso, a decoradora Maristela Gorayeb optou por uma persiana de fibra natural, que cobre exatamente o vão por onde entra a luz natural.

Um jeito charmoso de renovar o quarto é recorrer ao tecido indiano. Este sari, que confere um ar oriental atualizado à decoração, vai bem sobre uma base de matelassê usada como cabeceira de cama.

A cortina de linho está na justa medida entre simplicidade e sofisticação. O modelo emprega bastante tecido, para dar volume, e uma barra de 50 cm de altura. Projeto dos arquitetos Fernanda Abs e Fred Benedetti.

Foi o impactante veludo cor de vinho da cortina que determinou o rumo da decoração desta sala. Encorpado, o tecido esconde a vista para a casa do vizinho. Quando os moradores desejam deixar o espaço mais iluminado, recolhem a cortina e mantém fechado apenas o forro de gaze de linho. Projeto da designer de interiores Luciana Penna.

Cortina de organza translúcida funciona como uma divisória visual no vão entre as salas de jantar e estar.

A boa iluminação do ambiente torna o rosa da cortina de algodão mais suave. O tecido leve não compromete o espaço e o pouco volume e a instalação próxima do teto criam a percepção de um pé-direito alongado.
Tecido de estampa geométrica veste a parede de cabeceira do quarto. Em preto e branco, o desenho graúdo não cansa o olhar e se harmoniza com a decoração discreta. Projeto do arquiteto Rodrigo Angulo.




Além de ser o arremate perfeito da decoração, as cortinas têm também a função de dar
privacidade, proteger os ambientes do vento e do sol, bem como aquecer o espaço e esconder o visual pouco atraente das esquadrias. Fora isso, elas filtram com graça a luz natural,
provocando interessantes efeitos luminosos, e, quando sopradas pela brisa, protagonizam uma bela dança esvoaçante, muito agradável de ver. Hoje, a tendência sinaliza para os tecidos
transparentes, de preferência os de fibra natural, como a seda, o algodão, o linho e os mistos de seda com algodão e seda com linho. Isto porque são materiais de textura delicada, seu toque traz aconchego, sem falar na gama de cores suaves. A melhor maneira de tirar proveito dessas qualidades é apostar em modelos que
vão do teto ao piso - arrastando-se inclusive pelo chão para realçar seu caimento - e de parede a
parede. Dessa forma, emoldurando janelas ou portas de varanda, a cortina se destaca como
elemento decorativo, que pode substituir com o mesmo sucesso as pinturas especiais.

Saiba por que é importante vestir as janelas
Janelas sobre móveis ou instaladas entre armários oferecem pouca área para cortinas e aí, persianas são sempre a melhor solução.
Elas podem ter exatamente o tamanho da esquadria.
Para conquistar um visual mais leve, aposte nas de fibra natural.
Evite misturar numa mesma janela persiana e cortina. Isso já saiu de moda e o resultado não é bonito.
Quando usar persiana
A boa iluminação do ambiente torna o rosa da cortina de algodão mais suave.
O tecido leve não compromete o espaço e o pouco volume e a instalação próxima do teto criam
a percepção de um pé-direito alongado.
Usar uma textura na parede deixa o ambiente mais atraente e aconchegante. Pode-se optar
por acabamentos à base de tinta ou por um belo revestimento de tecido. Quem prefere o
segundo, tem como escolha a seda feita em tear manual com aparência rústica, o linho e os
tecidos mistos de algodão com seda e de linho com seda, todos gostosos de ver de tocar. Para uma perfeita instalação, é preciso que esses panos sejam dublados, tratamento que reforça as tramas, evitando que elas se deformem durante a aplicação. Na hora de comprar o tecido, pergunte se ele é dublado. Muitas lojas encaminham os cortes para oficinas especializadas e até indicam mão-de-obra adequada. Sim, porque
o bom resultado depende muito do capricho na colocação, o que significa que este é um trabalho que deve ser feito somente por quem sabe.
As duas formas mais comuns de ter tecido na parede é colá-lo diretamente na alvenaria ou sobre espuma adaptada num MDF, num efeito de capitonê. Uma boa dica, é repetir o tecido da parede nos estofados, cortinas e almofadas, apostando, porém, em texturas, cores e estampas diferentes. Se você tem criança
e animais de estimação, evite esse tipo de decoração.
Trata-se de um elemento delicado, sensível a manchas e ranhuras.
No dia-a-dia limpe o painel com espanador e, caso queira retirar alguma nódoa, use um pano úmido com
sabão neutro. Uma vez por mês, é bom eliminar a poeira com o aspirador de pó.
Paredes charmosas
Móveis também ganham vida nova quando forrados de tecidos. Quem tem uma peça antiga e querida pode
revesti-la com o mesmo pano usado na parede, onde ela ficará encostada. Isso vale para itens pequenos, como um bufê, e para grandes, como um guarda-roupa.
O resultado será uma camuflagem divertida e elegante.
Camuflagem chique
Placas de couro prensado e reciclado estão em alta na decoração. Com elas se pode criar
belos painéis em relevo, que sofisticam salas, quartos e halls de entrada.


Aula 5
Cortinas e
revestimentos têxteis




Conforto na sala de TV



Esqueça os pesados e deselegantes blecautes para as janelas dos espaços que têm TV.
Com tecidos mais macios e sofisticados é possível conseguir o escurinho necessário para assistir
sua programação favorita durante o dia.
 Cortinas de seda de trama fechada, numa cor mais forte, ou de veludo molhado são perfeitas nesses ambientes.
Quanto mais franzidas e fartas em pano, melhores serão as condições acústicas que elas trarão à sala.
Outro reforço para aprimorar o som ambiente e garantir aconchego é vestir as paredes com seda rústica natural dublada.
O mesmo material pode ser usado no revestimento dos estofados - opte por almofadas estampadas para acabar com a unidade de tons.








Sobre estampa



Cortinas estampadas só têm passe livre em ambientes
de base neutra. Desenhos em fundo claro combinam
bem com paredes revestidas de seda ou linho lisos
na mesma tonalidade pastel do padrão da cortina.
Mas se você não quer paredes claras, prefira cortinas
com estampas de fundo escuro - os fendis estão entre
os preferidos do momento - e repita essa tonalidade
na alvenaria. Padrões geométricos e florais são boas
opções para salas e quartos, pois não enjoam facilmente




De algodão, a cortina se esparrama pelo piso, cerca de 5 cm. Recomenda-se lavar o tecido duas vezes antes de serem costurados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário